Recomendações Importantes

  1. Algumas considerações para que você conheça bem o tratamento e o realize da forma correta.
  2. Considere seu sobrepeso ou a obesidade sempre como um fator de risco para qualquer procedimento médico, principalmente sob uso de sedação, portanto, sugerimos realizá-lo sempre em um ambiente apto para isso e com médicos experientes em endoscopia e na sedação de pacientes.
  3. Considere que o implante ou explante do balão é sumariamente um procedimento endoscópico, portanto, sugerimos realizá-lo apenas com médicos endoscopistas, especialistas nessa área.
  4. Considere o tratamento para obesidade com o dispositivo do balão intragástrico um tratamento multidisciplinar. Apenas introduzir o balão não trará os resultados mais satisfatórios.
  5. Considere o acompanhamento nutricional como um grande pilar de sucesso, não só na perda de peso, mas para uma mudança definitiva dos hábitos alimentares. O nutricionista, além de ajudar nisso, irá também lhe ajudar a sustentar o balão durante sua permanência, haja vista que ele traz, por vezes, sintomas colaterais que podem ser corrigidos com alteração na dieta administrada, além, é claro, de ajudá-lo a manter o peso pós emagrecimento.
  6. Sugerimos realizar acompanhamento com nutricionista treinado e habilitado com a presença do balão no estômago.
  7. Considere que não adianta perder peso rapidamente se não puder sustentar a perda após retirada do balão. As atividades físicas, além de acelerar sua perda durante a permanência do balão, irá ajudar a sustentar seu novo peso pós retirada, e por que não, a continuar a perda de mais peso mesmo sem o balão.
  8. Considere que nem sempre a quantidade de kilos é importante na mensuração do sucesso obtido, pois, se você fizer atividades físicas regularmente e sob orientação, substituirá massa gorda (gordura/+leve) por massa magra (músculos/+pesado). Além disso, medida mais fiel é conseguir perder pelo menos 5 pontos no IMC e a redução de medidas sentidas pelo paciente.
  9. Considere que muitas vezes não temos estimulo para iniciar e praticar atividades físicas. E se realizadas de forma errada podem até trazer malefícios em vez de benefícios. Considere contratar um personal trainer para lhe orientar nisso ou freqüentar academias especializadas para a prática correta dos mesmos, especialmente se seu IMC for maior que 35.
  10. Considere que muitos fatores psicológicos podem afetar seu comportamento alimentar, com compensações, sublimações ou substituições. Avaliaremos bem a necessidade de um acompanhamento psicológico, não só para te ajudar no tratamento, mas para superar tais problemas.
  11. Considere que existem casos que um acompanhamento psiquiátrico pode ser bem indicado. Especialmente nos pacientes portadores de depressões, distúrbios compulsivos e/ou de dependências de medicamentos ou aqueles com extrema ansiedade.
  12. Considere que algumas doenças afetam diretamente o metabolismo e favorecem o ganho de peso e dificultam a perda, tais como diabetes e hipotireoidismo. Recomendamos uma consulta com endócrinologista antes de decidir pelo método do balão.
  13. Considere que a forma de alimentar-se é uma opção. Você tem o poder de escolher os alimentos certos, saudáveis e que não são calóricos. Essa decisão, a priore, será sempre sua e definirá seu hábito pós balão.
  14. Sugerimos que, apesar do balão gástrico, você associe tudo que possa ajudá-lo a conseguir o seu objetivo.
  15. Estudos mostram que os pacientes que seguem o protocolo de tratamento com a associação do balão + atividades físicas + orientação nutricional, aumentam em muito os índices de sucesso e resultados satisfatórios no final do tratamento.
  16. Estarão proibídos durante todo o tratamento o uso abusivo de álcool, especialmente cerveja (agressor gástrico), liquidos gasosos, doces, açucares e frituras. São sabotadores do tratamento. O médico não estará ao seu lado vinte quarto horas por dia para admoestá-lo em obedecer essa solicitação. Mas tenha consciência dos resultados e do seu objetivo.
  17. Considere um risco mínimo de intolerância prolongada do balão dentro do estômago, com sintomas evidentes por mais de 15 dias. Isto acontece em menos de 1% dos pacientes. Porém, se for necessário que o tratamento seja interrompido precocemente, sob pena de risco para sua saúde, o médico poderá indicar a interrupção do tratamento.
  18. Ao final do período determinado pelo seu médico para retirar o balão de dentro do estômago, você DEVE entrar em contato para agendar sua retirada. Se você não fizer isso estará assumindo riscos desnecessários pela permanência do balão.